Quando a tristeza é necessária

Ninguém gosta de tristeza. Nunca.

Muitas vezes a evitamos. Outras vezes, a ignoramos, fingindo que não é em nossa porta que ela está batendo.


Esquecemos que muitas vezes a tristeza é necessária, importante e útil em nossa vida, pois nos mostra que há algo errado necessitando de correção.


imagem-tristeza-filme-divertidamente

 

Em vez de fugirmos da tristeza, precisamos aprender a entender o que ela tem a nos ensinar.

Tristeza sem motivo

Apesar de muitas vezes não conseguirmos distinguir a causa, não acredito que exista uma única tristeza sem motivo. A própria consciência da mortalidade e a angústia existencial e/ou espiritual muitas vezes são causas de sentimentos tristes. E apesar de serem casos sem solução – pois é de conhecimento público que mais cedo ou mais tarde todos morreremos, o que causa angústia em maior ou em menor grau em todos nós – até aqui a tristeza é útil, pois nos ajuda a não desperdiçarmos a vida com o que não vale a pena.

Bons motivos para estarmos tristes

Sei que a frase acima soa bem estranha e até paradoxal, mas há muitas situações em que deveríamos agradecer pela tristeza. Veja alguns exemplos:

1) Se você faz um curso, tem uma profissão ou mora em um local que não gosta, ainda bem que a tristeza está presente! Ela poderá te levar à reflexões e às mudanças necessárias para que consiga estar em situações e locais que façam com que você realmente se sinta bem.


2) Se você costuma mentir, mas acha isso normal e não se sente desconfortável, talvez seja adequado prestar atenção em sua atitude, pois a honestidade, a integridade, a coerência e a moral foram danificadas.


3) Se você maltratou ou inferiorizou alguém por ser você superior na hierarquia da empresa para a qual trabalha e se sentiu bem agindo assim, também seria adequado prestar atenção, pois a consciência de que todos somos seres humanos falhou para você.  Trate os outros como gostaria de ser tratado: se isso não ocorrer, é saudável e natural que algum sentimento derivado da tristeza apareça em algum momento.


4) Se você é estudante e costuma tirar notas baixas nas avaliações, mas não fica nem um pouco triste quando isso ocorre, também é sábio verificar sua atitude, pois notas baixas significam reprovação e falta de preparação adequada para desafios maiores, como vestibulares e concursos públicos.


5) Se você costuma falar mal de uma pessoa para outras pessoas – a famosa fofoca – e acha isso normal, é bom refletir sobre isso, pois em algum momento é natural a consciência pesar e sentimentos tristes surgirem. Se isso não ocorrer, parece que algo está errado.


6) Imagine que você furtou algo. O ilusório triunfo inicial será substituído em pouco tempo por sentimentos que culminarão em tristeza, pois valores pessoais como honestidade e integridade foram jogados por terra. Porém, se você não se sentir desconfortável com sua atitude, é o momento para também refletir sobre suas atitudes, pois a consciência do que é certo e errado apresentou uma falha grave. No Brasil, infelizmente temos inúmeros exemplos nesse sentido.

 

Conclusão

Ficar triste não é agradável, mas necessário para o desenvolvimento pessoal, pois a tristeza age como um “freio” em atitudes que poderiam ser desastrosas externa e internamente.

Não ignore a tristeza, pois ela é necessária ao equilíbrio e à consciência de que somos seres finitos, vulneráveis e frágeis – apesar de sermos também fortes de várias maneiras.


Talvez tristeza e alegria sejam como os dois lados de uma moeda: ambas se complementam em seres pecadores como nós. É impossível imaginar o mundo atual sem esses dois sentimentos, que em conjunto com o medo e a raiva são a base de todos os outros sentimentos.


Da próxima vez em que você se sentir triste, procure identificar o que originou tal sentimento e o que você pode aprender com essa situação específica.


Se procurar lá no fundo – no fundo mesmo – talvez possa até encontrar respostas surpreendentes.


homem-apreciando-o-por-do-sol-com-bracos-abertos

 


Site consultado:  Emoções básicas – conceitos

Créditos das imagens: Tristeza – Segredos de Concurso e RTP411 – Free Digital Photos

 

 

                   
 

 

 

 

18 thoughts on “Quando a tristeza é necessária”

  1. Perfeito Rosana!

    Puxa, e o desenho do inicio do post é triste rs Mas é uma baita lição.

    Os desenhos ultimamente trazem cada lição não? São ótimos para refletirmos em vários aspectos.

    Abraço e boa semana!

    Reply
  2. Ciclos da vida entremeados com a alegria, e o prazer, a tristeza e a melancolia favorecem nosso entendimento de que a vida é tão simples… Nós que a complicamos! Excelente matéria para reflexão!
    Abraço.

    Reply
  3. Scant Tales,

    Eu ainda não havia pensado nisso: a tristeza é mesmo a ante sala da depressão. Alguns conseguem sair e outros acabam explorando todos os cômodos dessa casa…

    A ira, a angústia e a raiva nos levam à ação – de uma forma ou outra – enquanto a depressão não. Penso como você.

    Boa semana!

    Reply
  4. Davi,

    Agradeço pela dica, eu ainda não conhecia essa mensagem.

    "Toda a paixão verdadeira é nascida da angústia. Toda verdadeira paixão por Cristo nasce de um batismo de angústia."
    Vivemos em uma época que foge da dor a todo custo, ignorando seus benefícios e sua necessidade em nossas vidas.

    Há alguns anos escrevi um curto post também sobre esse tema, se quiser ver:
    Simplicidade e Harmonia – Geração Analgésico

    Agradeço por seu comentário, espero que esteja gostando do conteúdo do meu blog. 🙂

    Reply

Leave a Comment