Solitude x Solidão

A sociedade em que vivemos dá muito valor à interação social. Estar ou fazer coisas sozinho parece até coisa de outro mundo. Mas não é.

Obviamente que a solidão indesejada é incômoda e desagradável, mas não é esse exatamente o objetivo desse post. Hoje eu quero falar sobre solitude, que é você estar sozinho por escolha própria e não em razão das circunstâncias.


Por causa da confusão existente entre solidão e solitude e do estigma e preconceito que rondam o tema, muitas pessoas evitam ficar sozinhas, quando na realidade ficar só pode ser muito benéfico e em alguns casos até pode ser um grande ato de amor próprio. Como diz o conhecido ditado, muitas vezes é melhor estar só do que mal acompanhado.

Há tantas atividades agradáveis e importantes que podemos fazer em momentos de solitude!

Oração, meditação, leitura – só para citar alguns.

São momentos ideais para o autoconhecimento e reflexão, para você pensar melhor sobre seus valores, princípios e objetivos. São momentos nos quais você pode começar a apreciar sua própria companhia.

menino-lendo


Enquanto a sociedade, as redes sociais e a mídia dizem que você deve estar o tempo todo interagindo com outras pessoas, pense primeiro em interagir com você mesmo, procurando encontrar um equilíbrio saudável entre a solitude e a vida social.


Para mim, Jesus é o melhor exemplo desse equilíbrio. Apesar de passar a maior parte do tempo entre pessoas, com uma vida social muito intensa, separava momentos para a solitude – momentos de oração e comunhão com Deus. 


Se até Jesus necessitava desses momentos, o que dizer de nós?

É fundamental não nos deixarmos levar pela cultura de massa, que conseguiu desvirtuar até a solitude.  Para nosso próprio bem, precisamos desses momentos à sós.

Experimente!

Os resultados podem ser surpreendentes.

Créditos da imagemAKARAKINGDOMS – Free Digital Photos

14 comentários em “Solitude x Solidão”

  1. Scant Tales,

    O que deveria ser um grande momento de autoconhecimento acabou tornando-se assustador e pavoroso para a maioria das pessoas.
    Uma pena…
    Talvez esse seja um dos motivos da sociedade (de forma geral) estar cada vez mais caótica. Quase ninguém se interessa pelo auto-conhecimento.

    Abraços,

    Responder
  2. Gosto da solitude, me faz pensar, me inspira bastante, mas não curto por muito tempo não, é muito bom papear com amigos e pessoas agradáveis. Reflexivo seu texto. Gostei de mais!
    Bjss!

    Responder
  3. Tudo é questão de equilíbrio. Tem pessoas que naturalmente são mais introvertidas.
    Vivemos num país onde a extroversão é muito mais bem vista.

    Solidão, calmaria também são necessários, pra gente poder sair do automático e pensar um pouco.
    O que acho injusto é tratar a timidez ou introversão quando não são exageradas com algo problemático. A vida nos mostra que a maior parte dos mentirosos, estilionatários etc, etc são pessoas convincentes, sociáveis, falantes etc.

    Responder
  4. Olá Rosana minha querida!
    Sempre gostei de momentos só para mim.Gosto de ouvir meus pensamentos, meus sentimentos… Acho fundamental olhar pra dentro de nós, e assim saber quem somos.
    Beijos, Deus esteja sempre com você.

    Responder
  5. Acho que não tenho mais nada a dizer k, belo texto.
    Aproveito para te desejar um bom feriado de
    muita PAZ E BEM, junto aos teus. E que esse mantra
    possa ecoar aos corações e que a solitude também possa
    ser um caminho uma solução para quem procura um despertar
    de consciência.

    Responder
  6. Anônimo,

    Você disse tudo: equilíbrio é fundamental.

    Uma pena que em nossa sociedade a extroversão seja mais valorizada, sendo que a introversão também é muito importante, exatamente para equilibrar.

    Em relação a sua última frase, não sei se conhece o livro abaixo. Nele há detalhes sobre vários perfis psicológicos.
    Se quiser ver minha resenha:
    https://simplicidadeeharmonia.blogspot.com.br/2017/04/psicopatas-do-cotidiano-katia-mecler.html

    Abraços!

    Responder
  7. André,

    Em uma época na qual os contatos sociais (reais ou virtuais) são supervalorizados, momentos à sós fazem toda a diferença. Acredito que só assim podemos realmente chegar ao auto-conhecimento autêntico.

    Vou ver o seu post, agradeço pela dica. 🙂

    Abraços,

    Responder

Deixe um comentário