Eu ou nós – por que usamos um ou outro?

Imagine que você está em um evento e o palestrante pergunta:

– Quem quer ganhar um brinde?


Tenho quase certeza de que a sua resposta será:


– Eu!

mãos-levantadas-imagem

Agora imagine que nesse mesmo evento foi apresentado um problema, mas todos da plateia não acertaram a resposta. E todos têm ciência de que todos erraram.

Então o palestrante pergunta:


– Quem errou a resposta do problema?


É bem provável que todos – ou quase todos – respondam em uníssono:


– Nós.


Reparou a diferença?

 

O mais conveniente

Nos dois casos usamos o que mais nos favorece ou minimiza os erros ou características negativas que possuímos.

No exemplo do brinde, eu quero ganhar. E se você ganhar – ou não – isso não fará diferença nenhuma para mim, pois o “eu” está em primeiro lugar.


No exemplo do problema, errar não é algo agradável. Por isso, se você errou também, nada mais “palatável” para mim do que dividir meu erro com você. De forma inconsciente, essa divisão torna o erro mais suave e eu acabo não me sentido tão mal, pois afinal de contas você errou também. E nada mais tranquilizador do que saber que estamos na mesma situação, principalmente se ela for negativa (para usar o “nós” em vez de “eu”). Nas situações convenientes, quase sempre a lógica se inverte: primeiro eu. Depois você.

 

Aprendendo com o inconveniente

Por mais desagradável que seja, usar “eu” em situações negativas pode ser muito benéfico, pois dessa maneira trazemos a responsabilidade para nós em vez de a distribuirmos com os outros. Essa atitude faz com que haja uma significativa mudança na mentalidade, visão e compreensão do assunto.

De forma natural, a mente se sentirá incomodada e começará a buscar uma solução. Não sempre, mas muitas vezes é isso o que ocorre.

 

O ser humano

Um exemplo que diz respeito a todos nós é a frase clássica: “o ser humano está destruindo a natureza”. Percebe que quando o termo “ser humano” é usado, a afirmação se torna suave e muito vaga, muito mais vaga até do que seria com o uso do nós?

Não dá até a impressão de ser algo que não diz respeito a mim e à você?


Agora veja outra frase: “Como ser humano, eu também estou contribuindo para a destruição da natureza”. Percebeu como a mudança tornou a frase muito pessoal e até incômoda?


É a partir desse incômodo que provavelmente você começará a fazer algo para ajudar a mudar essa situação, seja não jogando lixo nas ruas, optando por um consumo mais consciente, falando com outras pessoas sobre a importância da preservação ambiental, etc.


Outro exemplo diz respeito à alimentação. Quem nunca ouviu a frase: “As pessoas se alimentam muito mal hoje em dia”. Usar o termo genérico “as pessoas” torna tudo tão impessoal que até parece ser algo que não tem nenhuma relação comigo nem com você.


Se modificarmos a frase para: “As pessoas se alimentam muito mal hoje em dia, inclusive eu, o quadro mental será totalmente diferente como no exemplo anterior. E as atitudes posteriores também.

 

Faça o teste!

Comece a usar “eu” no lugar onde costuma usar “nós” com o objetivo de amenizar o erro, dividir a responsabilidade ou justificar atitudes.

Aos poucos você perceberá que sua compreensão e visão sobre determinados assuntos começará a mudar, pois o uso do “eu” e do “nós” estarão mais de acordo com o que realmente deveriam ser e não mais de acordo com nossas conveniências que acabam suavizando os fatos ao mesmo tempo em que prejudicam nosso próprio desenvolvimento pessoal.

Crédito das imagens: Karen Arnold – Pixabay

 

10 comentários em “Eu ou nós – por que usamos um ou outro?”

  1. Bom dia de paz, querida amiga Rosana!
    Na Espiritualidade, aprendemos a usar o eu sem nenhum tipo de egoismo como o mundo quer nos incutir para minimizar responsabilidades…
    Tenha dias abencoados!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    Responder
  2. oi, Rosana! que texto incrível em sua sabedoria. o que mais me marcou foi justamente essa questão de trazer para o "eu" por questão de responsabilidade e escolhas.
    às vezes me pego falando ou pensando que faço isso porque não tenho escolha, convenientemente esquecendo que apenas o fato de fazer algo é uma escolha. por isso, gosto de deixar claro para mim mesma o que faço e porque o faço, mesmo que não seja agradável. quando não é agradável, fica infinitamente mais fácil mudar de atitude, comportamento, padrão de pensamento.
    acho que isso é amadurecer. e amadurecer nunca é fácil; essas questões todas perpassam meu (nosso!) caminho de crescer como pessoa.

    um ótimo dia e semana para você! 🙂

    Responder
  3. tainan,

    Seu comentário ilustra bem o quanto os pensamentos são poderosos – para o bem ou para o mal. Por isso, precisamos prestar muita atenção no que estamos pensando, já que isso refletirá em nossas ações, que delinearão nosso futuro.

    Amadurecer nunca é fácil, pois gostamos da permanência, da segurança e não da impermanência, que é o que na realidade temos na vida. Mas quem percebe a beleza, a importância e a grandeza da impermanência acaba se saindo melhor nessa questão.

    Bom saber que gostou do meu post! 🙂

    Um bom feriado para você,

    Responder
  4. Olá, S&H

    É extremamente revelador perceber como as pessoas conseguem ser egoístas ou solidárias quando lhes interessam mais. A natureza humana é revoltante às vezes.

    É interessante que, quando comecei a estudar mais sobre a independência financeira, passei a encarar a vida de outra maneira: tudo o que acontece na minha vida, bom ou ruim, é culpa minha. Essa mudança de mindset foi poderosíssma, porque além de parar de reclamar e tentar achar uma desculpa por alguma miséria que me acontecera na vida, não tive outra escolha a não ser me tornar o responsável por sempre melhorar a minha vida.

    Hoje, pra mim, não existe mais "nós erramos" apenas o "eu errei" e o "eu estava errado." E eu estou muito agradecido por ser assim hoje.

    Abraços e seguimos em frente!

    Pinguim Investidor
    https://pinguiminvestidor.com –> Sim, novo domínio! Inspirado em parte por você hahaha

    Responder
  5. Pinguim Investidor,

    Responsabilidade: quando pensamos dessa forma, a vida muda e paramos de culpar os outros por nossos erros.
    São poucas pessoas que conseguem pensar e agir dessa forma. Parabéns por ter conseguido!

    Que legal seu blog estar com domínio próprio agora! Desejo-lhe muito sucesso. 🙂

    Responder

Deixe um comentário