O que você compartilha diz muito sobre você

Já parou para pensar que tudo o que você compartilha com seus amigos nas redes sociais diz muito sobre você mesmo?

Você só compartilha algo se de alguma maneira, esse algo fizer algum sentido para você. Se não fizer, você excluirá a mensagem.

Você só compartilha algo em que acredita – nem que seja só um pouco. Se não acreditar, o destino certo também será a exclusão da mensagem.

 

compartilha conexões entre pessoas

 

Você compartilha o negativo?

Infelizmente há uma grande quantidade de conteúdo desse tipo. São distribuídos ao redor do mundo com uma velocidade impressionante.

Se for uma informação que realmente seja de interesse da outra pessoa, digamos que seja útil. Mas na maioria das vezes, é algo totalmente irrelevante para quem está recebendo.

E até pode atrapalhar: se a pessoa está bem, a última coisa que ela quer ver, são vídeos que perturbem o seu sereno estado mental.

Isso já aconteceu comigo. E acho que também já deve ter acontecido com você.

Tem gente que gosta de ver e enviar vídeos perturbadores, tristes ou dramáticos, mas penso que antes de simplesmente enviar para a maior parte de seus contatos, seria interessante filtrar melhor as pessoas que realmente gostam de receber esse tipo de conteúdo e enviar somente à elas.

Há alguns meses eu recebi um vídeo extremamente perturbador sobre experimentos genéticos.

Não lembro a duração do vídeo. E isso também não importa, pois somente os 5 segundos iniciais que assisti já é algo bem difícil de esquecer.

Após isso, tenho muito mais cautela e apago uma grande parte dos vídeos sem nem mesmo visualizar. Eu já não costumava ver todos, pois gasta-se (ou perde-se) muito tempo com isso, com algo que não é algo relevante ou importante.

E no final das contas, cada um já sabe o estilo de conteúdo que cada um dos contatos costuma enviar.

 

Compartilhando boas risadas

Eu tenho uma colega que sempre me envia mensagens de humor.

São mensagens leves e descontraídas.

Não há como não sorrir.

E sem perceber, o estado mental acaba melhorando.

Quando percebo que a tensão, tristeza ou ansiedade estão tentando sobressair sem motivo aparente, gosto de ver o que essa colega compartilha comigo. Nem sempre é possível ou estou inspirada para isso, mas muitas vezes consigo.

Ver algo descontraído não resolve o problema, mas dá um certo alívio ao tirar o foco da improdutiva e prejudicial tensão.

 

Mensagens para reflexão

Uma outra colega me envia diariamente ricas mensagens para reflexão.

Mensagens edificantes, que proporcionam alguns “insights” e aquela vontade de mudar para melhor algum aspecto da vida.

Mensagens que, se internalizadas e praticadas, são capazes de tornar a vida mais leve e agradável.

 

Imagens fofinhas

Há também aqueles que gostam de enviar imagens fofinhas de crianças e de simpáticos animais.

Podemos dizer que essas mensagens de humor nada acrescentam de valor ou de ideias práticas à vida. E que podemos também coloca-las na categoria “ perda de tempo”.

Era assim que eu pensava – e não faz tanto tempo que mudei um pouco minha opinião.

Esse não é o tipo de conteúdo relevante ou importante. Porém, é algo que faz bem para a mente, que pode ajudar a desacelerar , a tirar um pouco o foco dos problemas, a tornar a vida um pouco mais leve, a dar uma pausa, a diminuir o estresse.

Claro que sem exageros.

Costumo ver poucas imagens desse tipo. E somente de vez em quando. Pois se eu ficar vendo tudo, aí sim virá o estresse e a insatisfação por não ter feito o que deveria ter sido feito.

 

Compartilhamento de mensagens x personalidade

Querendo ou não, tendo consciência ou não, nós influenciamos e somos influenciados o tempo todo.

Se você gosta de enviar mensagens de bem-estar, harmonia, saúde, esperança, humor, isso demonstra que uma parte do seu ser aprecia esse tipo de estilo de vida.

        

Se você gosta de enviar mensagens com notícias ruins, catastróficas, violentas, de problemas ou guerras, isso demonstra que uma parte do seu ser gosta desse tipo de conteúdo, embora você queira exatamente o oposto de tudo isso para a sua própria vida.

Parece um tanto incoerente, não é?

Porém, com maior ou menor intensidade, todos nós temos esse lado meio estranho.

A grande tensão causada por muitos filmes e por alguns brinquedos de parques de diversões mostram que nem sempre as pessoas querem algo mais leve, mais tranquilo, algo que traga paz e serenidade.

Eu já fui assim em relação à filmes, livros e jogos. E fico pensando em como eu achava normal estressar minha mente e angustiar minhas próprias células com enredos tão tensos.

 

Você quer paz? Então tenha pensamentos de paz.

Parece simples. Mas não é.

Muitas vezes a sua própria maneira de pensar e de compreender a vida está contra você.

Em outras vezes, o mundo ao redor parece transmitir tantas coisas ruins, que fica até difícil encontrar um pouco de alegria e paz.

Você não pode mudar o mundo externo, com seus trágicos acontecimentos. Mas você pode ter algum controle sobre os seus pensamentos. 

Isso não é fácil, quando a tendência mental é seguir para o lado negativo, mas com esforço, dedicação e disciplina você pode alcançar bons resultados ao mudar sua forma de raciocínio do negativo e pesado para algo mais positivo e mais leve.

 

O que é um pensamento de paz para você?

É bem provável que seja algo que torne sua mente mais alegre, tranquila e com mais esperança.

Como você se sente quando tem esse tipo de pensamento?

Como você acha que suas células se sentem e se comportam durante esses momentos? Elas ficariam mais animadas ou mais desmotivadas?

Quando está se sentido muito bem, o que faz mais sentido para você: enviar aos seus amigos mensagens com viés negativo ou algo mais edificante, agradável e positivo?

Quando recebe mensagens, você prefere algo que faça com que você se sinta melhor ou pior?

Vejo como algo até contraditório, a humanidade – como um todo – almejar a felicidade, a saúde e o bem-estar, mas compartilhar tanto conteúdo irrelevante, bobagens e coisas até piores.

 

bola smiley sorrindo

 

Se eu quero o bem, penso que devo semear o bem.

Não costumo compartilhar muitas coisas nas redes sociais ou aplicativos de mensagens, mas quando o faço, gosto de enviar algo que tornará melhor o dia da outra pessoa.

E você?

 

Créditos das imagens: Pixabay

 

        

15 thoughts on “O que você compartilha diz muito sobre você”

  1. Bom dia de nova semana,querida amiga Rosana!
    Descobri há muito tempo que é desperdiçar tempo enviando mensagens desperdiçando tempo de conversar mesmo, diretamente, com as pessoas.
    Enviar o tempo.todo mensagens de humor pode também revelar pessoa que não suporta (não tem estrutura emocional) o sofrimento. A psicologia explica muito bem a questão.
    Por outro lado, distribuir tragédias é um terror.
    Tinha uma tia que precisava olhar de perto os acidentes, as tragédias. Meu Deus!
    Temos como abordar assuntos tristes mostrando o valor da fé que remove montanhas.
    Deus é o Deus dos impossíveis.
    Não podemos ficar alienados, entretanto a fé e a esperança nos domina e redime.
    Você tem toda razão, vemos nos blogs os interesses das pessoas pelo que postamos.
    Não uso outros MCS, graças a Deus! Só para filhos e comércio. Não quero estragar meus dias que têm sido difíceis já.
    Muito obrigada por alertar sobre os incômodos que são as horas que se gastam nos repasses de tragédias e vídeos sem sentido.
    A vida é valiosa e, muitas vezes, só damos valor quando ela está no fim.
    Tenha uma nova semana abençoada de paz!
    Beijinhos com carinho de gratidão e estima

    Reply
    • Rosélia,

      “Enviar o tempo todo mensagens de humor pode também revelar pessoa que não suporta (não tem estrutura emocional) o sofrimento. A psicologia explica muito bem a questão.”
      Interessante. Eu ainda não havia pensado dessa forma. Agradeço pela dica, vou pesquisar sobre esse assunto.

      Infelizmente há tantas pessoas como a sua tia, que gostam de ver e compartilhar tragédias, compartilhar simplesmente os fatos sem algo mais que mostre alguma esperança, alento ou o poder e a importância da fé. Para que? Por que? Até hoje não entendi essa faceta tão estranha da personalidade humana.

      “A vida é valiosa e, muitas vezes, só damos valor quando ela está no fim.”
      Cada um de nós sabe que já perdeu muito tempo compartilhando mensagens e conversando sobre assuntos irrelevantes.
      Não dá para mudar o passado, mas podemos olhar com mais critério o que realmente vale a pena ser visto, ouvido ou compartilhado, pois as informações e distrações são inúmeras, mas nosso precioso tempo não.

      Desejo uma semana de paz para você também! 🙂

      Reply
  2. Concordo plenamente.

    Se eu quero um mundo alegre e feliz devo semear o belo e agradável à minha volta, mas tantas vezes isso está londe de acontecer…

    Beijinhos e boa semana!

    Reply
    • Fá menor,

      Nem sempre isso é fácil mesmo… mas muito melhor é persistir do que deixar que pensamentos disfuncionais tomem conta, pois quando começam, muitas vezes é bem difícil interrompê-los.

      Abraços,

      Reply
  3. Boa noite, Rosana
    Postagem muito interessante. Como é precioso semear o bem, pensamentos de paz, humor, essas coisas animam a vida. O teu blog contribui muito com conteúdos significativos. No dia 16 de maio fiz uma postagem sobre exercícios físicos e coloquei uma frase tua, dá uma passadinha lá, bjs querida.

    Reply
    • Lucinalva,

      Precisamos de mais coisas que nos animem, pois a própria realidade muitas vezes já é muito cruel por si mesma.

      Agradeço pela citação, vou lá ver!

      Abraços,

      Reply
  4. Bom fim de noite e feliz semana Rosana.
    A internet veio para facilitar, acelerar e criar relações, mas as redes nem sempre é um porto seguro. É preciso muita arte para navegar e assim manter relações, que se pretende sadia.
    Os grupos das redes é uma área muito complexa, por reunir gente de todos os pensamentos e nestes grupos você é bombardeado continuamente com mensagens que nada tem a ver com você e sua proposta de compartilhamento. E acaba você tendo que tomar uma decisão radical de sair e quando é de família então a coisa fica mais difícil. Neste ano de eleições as redes tornam-se insuportáveis.
    Enfim saber do outro é fundamental para troca de mensagens e permitir que ele saiba quem é você e assim e somente assim, as trocas de mensagens suavizam e são bem vindas.
    Muito boa sua postagem com suas perfeitas observações de cada tipo de mensagem.
    Um abração Rosana.

    Reply
    • Toninho,

      Por tudo o que disse, precisamos muito aprender a navegar com mais tranquilidade e sabedoria nas turbulentas águas da internet – ainda mais em se tratando de temas políticos ou familiares.

      Boa semana!

      Reply
  5. Excelente texto para refletir sobre nós mesmos, a partir dessa interação nas redes sociais. Eu diria , até, um bom ensaio para o autoconhecimento.
    Parabéns. Gostei muito.
    Abraços.

    Reply
    • Bom saber que gostou do meu post, Maria Lucia!

      Interessante o que disse: a interação realmente é um bom ensaio para o autoconhecimento.

      Agradeço por sua visita. 🙂

      Reply
  6. Excelente texto, Rosana!

    Isso me lembrou o que disse um apresentador de TV tempos atrás – Marcos Mion.

    Ele disse que, sempre que posta alguma coisa nas redes sociais, ele tem a preocupação de fazer o conteúdo ser útil, de modo a fazer a pessoa que absorve o conteúdo a ter alguma informação nova, a partir daquilo que ele produz. Achei isso bem bacana, e que vai ao encontro do tema do artigo.

    Parabéns!

    Reply

Leave a Comment