Apenas escute. E não fale que o seu problema é maior.

 

Nem sempre é assim que acontece, mas quando alguém vier te contar um fato, apenas escute. E jamais fale que o seu problema é pior – isso é a última coisa que a pessoa gostaria de ouvir.

Quando ela terminar de falar, diga algo sobre o que acabou de ouvir, pois é exatamente isso o que ela espera: que suas palavras tenham sido ouvidas.

Quem não gostaria de ser tratado assim?

 

Você não imagina o que aconteceu comigo!

A cena é bem comum: você fala que não está bem, que está angustiado, triste ou com alguma dor física e a outra pessoa diz: “ Você não sabe o que aconteceu comigo”. E então começa a enumerar vários itens em sequência.

Nesse momento você fica até meio sem jeito por ter contado o seu problema. E de certa forma, incomodado, pois é evidente que a outra pessoa não deu tanta importância para o que você falou.

 

Comparação no lugar de consideração

É desagradável perceber que as palavras não receberam a atenção esperada.

Dá até vontade de voltar alguns segundos no tempo e pegar todas as palavras de volta. Pena que isso não é possível.

E o que já estava ruim fica ainda pior quando a outra pessoa continua falando sobre o problema dela. Parece até que se esqueceu do assunto inicial da conversa. E muitas vezes até diz que a situação dela é pior do que a sua.

Isso quando não fala que a situação de outras pessoas é muito pior do que a sua. Nesse momento, você começa até a se sentir culpado.

Sempre haverá alguém em condições piores do que a sua, o que torna esse tipo de comparação totalmente inapropriada, pois cada pessoa é única, com uma base própria e personalizada de sentimentos, emoções, pensamentos e estilo de vida.

E se naquele momento a sua necessidade era desabafar com alguém, percebe com certa frustração que agora é você quem irá ouvir o desabafo do outro. Ou pior ainda, a comparação. E ainda precisa ouvir que deveria agradecer, pois há tantas pessoas em situação pior do que a sua.

Você já deve ter passado por isso – de um ou de outro lado da situação.

 

apenas escute pessoas conversando ilustração

 

Mas não precisa ser assim

Quando alguém vier te contar algo, simplesmente escute.

Se possível, não interrompa. Apenas escute.

E no final do relato, comente algo sobre o fato em questão, procurando fazer com que a pessoa se sinta um pouco melhor e mais aliviada.

Evite a todo custo comparar o que acabou de ouvir com algo que aconteceu com você.

Comparar, de certa forma, demonstra uma certa falta de consideração pelo problema alheio. E ninguém gosta de passar por isso.

A arte de escutar com atenção e empatia precisa fazer parte da vida de cada um de nós.

Pense nisso da próxima vez em que for conversar com alguém que já está em uma situação de fragilidade.

E jamais faça pouco caso do problema do outro, dizendo que o seu é pior, pois como eu disse no início, essa é a última coisa que a outra pessoa gostaria e precisa ouvir nesse momento.

Apenas escute. Simples assim.

 

Créditos da imagem: Master isolated images – Free Digital Photos

 

10 thoughts on “Apenas escute. E não fale que o seu problema é maior.”

  1. Que temática importante! Tantos há que não sabem escutar o outro e se intrometem no meio da fala, dando nada de atenção ao problema do outro. Outros acham sempre que o SEU problema é maior… Haja!!! Saber ouvir com atenção é preciso! beijos, tudo de bom,chica

    Reply
  2. Boa noite , Rosana .

    Outra situação chata é quando alguém bem-intencionado ás vezes fica querendo dar conselhos quando a pessoa quer apenas um ouvido empático para desabafar seus problemas .

    A maioria de nós tem esse pequeno problema de entender que ás vezes as pessoas somente querem um obro amigo pra chorar seus problemas .

    https://blogderasratel.blogspot.com/

    Reply
    • Ras Ratel,

      Interessante o que você citou. Sem dúvida, é outro tipo de situação que se torna bem desagradável.

      “A maioria de nós tem esse pequeno problema de entender que ás vezes as pessoas somente querem um ombro amigo pra chorar seus problemas.”
      Somos seres sociais. Em um ou em outro momento precisamos muito desse ombro amigo. Pena que nem sempre ele está disponível da forma como precisamos…

      Dei uma olhada rápida em seu blog e gostei do que li. Depois vou ver com mais calma e adicionar no Feedly!

      Agradeço por seu comentário. Espero que goste do conteúdo do meu blog! 🙂

      Reply
  3. Nossa Realmente. Ninguém tá nem ai para seus problemas ou quer saber sobre vc.
    Como eu li outro dia, cada um é o ator principal do seu próprio filme, todas as outras pessoas, todas, até as mais próximas, são apenas coadjuvantes que não temos interesse. Infelizmente isto é bem verdade. Ninguem se importa com os outros de verdade. Não adianta pensar o contrário

    Reply
    • AA40,

      “Cada um é o ator principal do seu próprio filme, todas as outras pessoas, todas, até as mais próximas, são apenas coadjuvantes.”
      Interessante o que falou. Mais realista, impossível.

      Aprendemos desde cedo e continuamos reforçando durante a vida que as pessoas se importam, mas no fundo, sabemos que as coisas não são bem assim.

      Como você disse, ninguém se importa com os outros de verdade. Estranho… mas é assim que funciona.

      Boa semana,

      Reply
  4. Boa tarde, Rosana!

    Não saber ouvir parece que já se tornou uma cicatriz. É preciso uma cirurgia plástica no interior do “falador”.

    Cursos de escutatória seriam bons, já que tantos temos de oratória.

    Beijo!

    Reply

Leave a Comment