Superação – uma admirável trajetória que acompanhei

O ano era 2009. Porém, a história de superação não começou aí.

Na realidade, esse momento era quase o fundo do poço.

 

O início

Em 2009 mudei para um novo local de trabalho.

Entre todos os novos colegas de empresa, havia um que se destacava.

Não pela eficiência ou comprometimento, mas pelas longas horas de intervalo para o almoço. Pela displicência com o trabalho.

E também pelas acaloradas discussões ao telefone com a esposa.

O filho, de apenas 2 anos, presenciava tudo.

Desnecessário dizer que os traumas e sofrimentos da infância o acompanham. Felizmente ele conseguiu superar muito do que passou.

 

Pixel triste

 

Sem ajuda profissional, pois a mãe não se importava muito com ele – e por fatos mais recentes, parece que tudo continua mais ou menos igual. A pensão do filho interessa. O filho… não tanto quanto se espera.

O pai, que eu vou chamar de Antônio, nunca conseguiu a guarda do menino por não ter um casamento estável e por trabalhar muito. Com quem a criança iria ficar?

Voltando ao local de trabalho, eu achava muito estranho que o Antônio fizesse um horário de almoço tão longo, prejudicando inclusive a sua própria equipe e ficar por isso mesmo.

Ainda bem que o gerente entendia bem a situação e sensibilizado com tudo o que se passava na vida de Antônio, não tomou medidas mais drásticas.

Depois de alguns dias, fiquei sabendo que ele era viciado em drogas. Já havia experimentado muitas variedades e agora estava na fase das opções mais pesadas.

Havia perdido casa e carro para esse vício cruel.

Morava de aluguel com o filho de 2 anos, a esposa e os outros 4 filhos dela (de 5 a 14 anos).

O casamento não durou muito tempo e dessa forma, além de pagar a pensão do filho, tinha que pagar também seu próprio aluguel. E comprar roupas e calçados para o menino.

O divórcio foi tenso, pois a esposa não queria assinar os papéis da separação.

Demorou alguns anos para que Antônio finalmente conseguisse as tão esperadas assinaturas necessárias.

 

Muitos apuros, risco de vida

Por ficar devendo e não ter como pagar, Antônio precisou se mudar, pois foi ameaçado de morte.

Mas antes disso, quando estava envolvido nesse mundo sombrio, presenciou atrocidades típicas e dignas de filmes violentos.

Muitas vezes a ficção e a realidade se misturam em narrativas tão cruéis que chegam a causar horror em quem as ouve ou lê.

 

Uma noite aterrorizante

O ano era 2013.

Na época, Antônio estava em sua casa com um colega que também era viciado em drogas.

Não sei como os entorpecentes agem no cérebro, mas ambos começaram a ouvir vozes.

E o que as vozes diziam? Que queria matá-los.

O colega, com medo, saiu correndo e nunca mais voltou à casa de Antônio.

Até se encontravam na rua, mas apenas isso.

Antônio, por sua vez, agora estava sozinho naquela noite.

As vozes continuaram até ele adormecer.

 

O ponto da virada

        

A experiência da noite anterior foi o impulso que Antônio precisava para dar um basta à essa vida de vícios.

E não foi algo gradual. Ou com algum tipo de internação ou apoio psicológico.

Foi com o poder da decisão.

A partir daquela noite tenebrosa, Antônio nunca mais usou nenhum tipo de droga.

 

As vozes continuaram

Nem todos acreditam no lado espiritual, que talvez não estejamos tão sozinhos quanto muitos imaginam, mas o fato é que as vozes continuaram.

Porém, agora não haviam mais drogas. Eram apenas as vozes.

Antônio começou a ler a Bíblia e muitas vezes, o livro era tirado de suas mãos e atirado ao chão.

Sei que nem todos irão acreditar nesse trecho da narrativa, porém, conhecendo Antônio como eu conheci, sei que ele não teria motivo algum para inventar isso. Até porque é uma pessoa que valoriza a sinceridade e a honestidade.

Nessa mesma época, Antônio começou a frequentar uma igreja evangélica.

As vozes ficaram menos frequentes. Até cessarem por completo.

A Bíblia já não era mais tirada de suas mãos.

 

Uma grande transformação

Quem conheceu Antônio antes de 2009 e o encontrava após 2013 percebia a enorme mudança que ocorreu para melhor em sua vida.

No trabalho, o horário de almoço era respeitado.

O comprometimento e a dedicação ao trabalho também aumentaram.

Inclusive, como sua escala de trabalho passou de 12 para 8 horas diárias, ele arrumou outro emprego: motorista de ônibus urbano.

Dizia que não seria bom ficar parado, pois poderia voltar à vida anterior. E isso era o que ele mais queria evitar.

 

Esforço, interesse e um novo mundo a ser explorado

Até então, Antônio raramente usava o computador da empresa.

Porém, começou a se interessar e aprender tudo o que precisava.

Tinha dificuldades, mas sempre perguntava como fazer determinada tarefa.

No início, perguntava para todos, mas infelizmente algumas pessoas maldosas desdenhavam dele.

Apesar de não demonstrar, ele ficou muito magoado e então passou a selecionar com mais critério seus “professores” no novo mundo da informática. Me sinto feliz por eu ter sido uma dessas pessoas.

Sempre admirei o esforço de Antônio.

Até às 14:00 horas ele trabalhava em um emprego. Das 14:30 até 00:00 em outro.

Nunca o vi reclamar de cansaço.

Raramente o vi ficar resfriado. Sempre teve uma saúde excelente.

 

O acidente

Em 2018, ao ir de manhã para o serviço, sofreu um acidente com a moto – comprada há poucos meses e em anos de prestações a pagar.

Fraturou o quadril, um joelho, uma perna, teve um corte na testa e diversas escoriações pelo corpo.

A testa precisou de alguns pontos.

No joelho e na perna precisou colocar pinos.

Foram mais de 30 pontos só na perna.

No quadril, precisou de uma placa, pois a batida fragmentou tanto algumas partes tornando impossível a restauração.

Ficou internado por mais de 1 mês, pois as cirurgias não poderiam ser feitas de forma simultânea. Pelo que me lembro, somente após a cicatrização de uma parte é que poderia ser feita a outra cirurgia.

Foram por volta de 8 meses de afastamento, pois além das cicatrizações, Antônio perdeu muita massa muscular. Precisou de muitas sessões de fisioterapia.

Como eu disse acima, a saúde de Antônio sempre foi excelente.

As cirurgias foram muito bem sucedidas e ele voltou às suas atividades profissionais de rotina normalmente.

 

Covid-19

Em maio de 2020, Antônio contraiu covid-19.

Como no início ninguém sabe que está com a doença, 70% dos colegas de trabalho também pegaram. Um deles não resistiu e acabou morrendo.

Eu estava em home-office na época. E acompanhava tudo com muita apreensão e preocupação.

Antônio piorou e precisou ser internado.

Ficou entre a vida e a morte – palavras dele.

Foram 3 meses de internação.

Foram tentados vários tratamentos, mas seu organismo não respondia de forma satisfatória à nenhum deles.

Enquanto isso, o filho, agora com 13 anos, estava muito triste, angustiando e ansioso. E com razão, pois amava o pai. Eram grandes amigos.

Então, Antônio começou a melhorar.

Lenta e gradualmente, oxigênio e medicações foram diminuídos. Até serem completamente retirados.

Após a alta médica, ele precisou novamente de fisioterapia, pois perdeu muita massa muscular. E também emagreceu bastante.

Foram entre 4 a 5 meses de afastamento, mas após esse período, estava totalmente recuperado.

No início de 2021, Antônio saiu da empresa. Por opção. Foram 32 anos de serviço prestado.

Continua na empresa de ônibus.

Tirou a carta categoria E. Para poder dirigir ônibus articulados.

Admiro sua determinação. E suas atitudes.

Aos 56 anos, quantas pessoas voltam a estudar por opção, por que realmente querem e não apenas pela obrigação das atualizações?

 

Redes sociais

Com o advento das redes sociais, Antônio aprendeu a usar essa ferramenta. E também os aplicativos bancários.

Ele aprende rápido. É dedicado. E muito interessado em novos conhecimentos.

Todo dia, Antônio envia duas mensagens: uma de manhã e uma à noite.

Suas mensagens são sempre edificantes. Uma imagem com palavras de fé e esperança.

Uma imagem que simboliza a chegada de dias melhores para quem os espera.

Senti falta das mensagens nos meses em que ficou internado com covid.

Não sei quantos contatos ele tem nas redes sociais, mas sei que envia essas mensagens diariamente para muitas pessoas. Todos os dias mesmo. Literalmente.

 

Tranquilidade, serenidade e superação

Quem conheceu Antônio antes de 2013, sabe que sua vida mudou de forma significativa.

O Antônio de antes era impulsivo e às vezes até violento nas palavras, mas hoje é calmo, sereno e tranquilo.

Fico admirada por ele trabalhar no transporte público urbano, pois o ambiente é estressante por si só, seja pelo trânsito, outros motoristas ou passageiros. O Antônio que conheci em 2009 não conseguiria permanecer em um emprego desses por tanto tempo.

As palavras de baixo calão não fazem mais parte de seu vocabulário. Bebidas alcoólicas também saíram de sua vida.

Gosta de cantar hinos. E músicas populares.

 

Um novo casamento

A vida amorosa de Antônio nunca foi tranquila. Foram vários casamentos que não deram certo.

Agora, parece que ele encontrou a pessoa ideal.

Alguns meses antes do acidente de moto, iniciaram o namoro.

Ela passou toda essa fase ao lado dele. E também a fase da covid.

Os dois formam um bonito casal. Espero que sejam muito felizes.

A namorada tem um filho de 11 anos, que ser dá muito bem com o filho de Antônio.

O filho continua morando com a mãe, que possui a sua guarda legal.

 

Decisão e superação

Eu acho incrível, admirável e extraordinária a mudança radical que Antônio conseguiu efetuar em sua vida.

Sem ajuda profissional, ele tomou uma decisão e foi firme o suficiente para não desistir no meio do caminho.

Percebeu que do jeito que estava vivendo, não iria alcançar bons resultados.

Compreendeu que o caminho do bem pode ser agradável e interessante.

E que o alívio momentâneo das drogas não é capaz de proporcionar paz interior. Muito pelo contrário.

Ao tomar essa importante decisão, muita determinação, foco, persistência e disciplina foram necessários.

Antônio conseguiu trabalhar de forma admirável tudo o que era necessário para a mudança.

 

superação homem subindo uma escada escrito step by step como degraus

 

Por tudo isso…

Não se aborreça com qualquer coisa, pois realmente não vale a pena.

Sempre trabalhe seus pontos fortes, pois em momentos de dificuldade são eles que te fortalecerão.

Jamais desista de melhorar, de fazer o bem. De estar no caminho do bem.

Seja grato pelo que você já tem.

Acredite que com bons e adequados sentimentos, pensamentos, planos e atitudes, você realmente alcançará bons resultados.

E que dias melhores virão.

 

Créditos das imagens: Manfred Steger e Gerd Altmann – Pixabay

 

        

22 thoughts on “Superação – uma admirável trajetória que acompanhei”

  1. Puxa, que história essa! Tão bom quando vemos quem está no chão se reerguer e dar a virada em sua vida, mostrando a garra e força! Que bom e que Antonio e ua família possam ser muito felizes por muito tempo ainda!
    Lindo exemplo! beijos, ótimo dia! chica

    Reply
    • chica,

      É muito bom mesmo ver que uma pessoa é capaz de mudar tanto – para melhor.

      Isso mostra o quanto muitas vezes temos muito mais capacidade do que acreditamos ter.

      Boa semana. 🙂

      Reply
  2. Incrível esse relato, Rosana!

    Mostra que o ser humano determinado guarda, dentro de si, uma poderosa força de vontade, capaz das mais impressionantes realizações.

    Parabéns para o Antônio, e que ele continue assim, evoluindo sempre!

    Abraços!

    Reply
    • Guilherme,

      “Mostra que o ser humano determinado guarda, dentro de si, uma poderosa força de vontade, capaz das mais impressionantes realizações.”
      Gostei da sua frase, você tem toda razão.
      Quando há determinação, o próprio pensamento cria uma sequência de outros pensamentos saudáveis, positivos e com foco no alcance dos objetivos.

      Boa semana!

      Reply
  3. Bom dia de paz, querida amiga Rosana!
    Tem um pensamento do qual me lembrei ao ler todo o post, sobre a pessoa esmagada que, apesar de, ainda continua forte na resiliência que a vida lhe presenteia.
    Fui voluntária numa casa de recuperação em Coronel Fabriciano, MG, onde pude sentir de perto, conversando com um a um sobre a dependência química… Aprendi muito.
    Uns, depois de um retiro espiritual, fugiam da casa, já outros, ganhavam uma força Interior e completavam o tratamento.

    Não se aborreça com qualquer coisa, pois realmente não vale a pena.

    Não deixar de fazer o bem mesmo a quem nos despreza. O bem pelo bem, a paz pela paz.
    A Palavra tem poder sobre nós e não somos capazes de odiar, graças a Deus!
    Tenha dias abençoados!
    Beijinhos com carinho de gratidão e estima

    Reply
    • Rosélia,

      Gostei do que falou sobre a força interior de algumas pessoas na casa de recuperação. São com exemplos assim que fica bem claro o poder da palavra e dos pensamentos.

      Lindo o que falou sobre a paz. Se queremos paz, temos que cultivar a paz em nossa vida através das pequenas atitudes diárias.

      “Não se aborreça com qualquer coisa, pois realmente não vale a pena.”
      Você disse tudo. Muitas vezes perdemos nosso tão precioso tempo com coisas que não valem a pena. Precisamos ter mais critério, mais decisão para compreender o que realmente importa – e com isso sim, utilizarmos nosso tempo.

      Boa semana!

      Reply
    • Juvenal,

      “A força de vontade e a determinação são meio caminho andado para a superação.”
      Gostei da sua frase. Sem essas duas qualidades, não dá para ir muito longe.

      Agradeço por seu comentário. Espero que goste do conteúdo do meu blog. 🙂

      Um bom final de semana,

      Reply

Leave a Comment