Retrospectiva 2021 – Parte 1

Para encerrar 2021, resolvi criar um post um pouco diferente: uma retrospectiva desse ano do blog Simplicidade e Harmonia.

Você encontrará uma breve apresentação de cada post escrito no ano e também um trecho em destaque de cada um deles,  E você perceberá como todos acabam se interligando de alguma forma.

 

Janeiro

No 1º post do ano, o tema são os objetivos pessoais.

E o quanto alguns fatores como o excesso de distrações, preocupações e pressa podem estar tão presentes, que acabam te afastando do que mais você gostaria de alcançar.

O tempo passa e então, muitos objetivos que pareciam tão vivos dentro de você acabam sendo vistos como improváveis de serem concretizados.

E com essa nova crença em mente, não faltam justificativas para tentar explicar as razões pelas quais algo não dará certo.

Porém, você não foi ensinado que “tudo o que você foca se expande”. Precisará aprender por si mesmo.

“Sem querer e até de forma inconsciente, acabamos de certa forma atraindo para nossa vida o oposto do que havíamos idealizado através de atitudes por um lado e falta de atitudes por outro.”

Por isso, pense por alguns momentos nos planos que esperava realizar em 2021.

Você conseguiu?

Se não foi possível, quais foram os motivos?

Esses motivos têm mais relação com crenças negativas do passado ou com sua própria situação atual?

Se você for guardar apenas uma frase desse post, eu gostaria que fosse essa: “Para que resultados diferentes sejam alcançados, a linha de pensamento e as estratégias precisam ser diferentes.”

Mude sua maneira de pensar. E assim mude sua vida!

 

No 2º post, a intenção é propor uma reflexão sobre seus próprios pensamentos. Estão eles te levando para mais perto dos seus próprios objetivos ou fazendo exatamente o oposto?

Quando terminar a leitura, gostaria que voltasse nesse post para refazer o simples e rápido teste. Vou deixar o link no final.

Muitas vezes você não tem consciência do grande poder que os pensamentos têm em direcionar suas próprias decisões. A culpa não é sua: foi assim que aprendeu desde a mais tenra idade.

Você não tem consciência do quanto seu passado pode ser uma grande influência. Para o bem ou para o mal.

Por isso, procure questionar seus próprios pensamentos. Principalmente os disfuncionais.

E então pergunte-se da forma mais sincera possível:

“Esse pensamento era realmente necessário ou só está atrasando a minha vida?”

 

pedras com palavras sonhos, coragem, inspiração e harmonia

 

Fevereiro

No 3º post do ano, a ideia é falar sobre o quanto suas as palavras podem impactar de forma positiva ou negativa a vida das pessoas ao seu redor.

O que você costuma dizer de forma habitual?

São palavras que fazem com que a pessoa se sinta valorizada, que proporcionam tranquilidade, paz, bem-estar, alegria? Que fazem bem ao corpo, a mente e ao espírito?

Ou são palavras que causam desânimo e confusão?

Pensar e falar coisas construtivas pode ser até um grande desafio, pois estamos o tempo todo expostos a muitos acontecimentos ruins. E também a uma indústria cultural repleta de conteúdos que enfatizam a tensão, o medo a tristeza, a corrupção, etc.

Porém, mesmo diante desse cenário, você pode escolher quais serão seus pensamentos. Qual será a tônica de seu diálogo interno. E de suas palavras.

Você pode escolher em qual estado de ânimo pretende deixar o seu ouvinte. Não que isso realmente se concretizará como você imaginou, mas ao menos você pode tentar tornar a vida do outro mais leve e agradável com suas palavras.

Para você pensar:
Se seus familiares e amigos pudessem te definir em uma palavra, qual você acredita que seria?

        

É infinitamente melhor ser conhecido como uma pessoa equilibrada, que transmite serenidade, paz, alegria. E vida. 

Não é?

 

No 4º post do ano o tópico é a culpa coletiva.

Frases como: “A humanidade está cada vez pior” e “O ser humano está poluindo o planeta” fazem parte do diálogo de muitas pessoas. Muitas mesmo.

Pensamentos assim tiram o foco no indivíduo e o colocam no coletivo. Exatamente o oposto do ideal.

Quando o foco está no coletivo, a mente entende que a responsabilidade pessoal é muito menor do que ela realmente é. Isso acaba enfraquecendo qualquer decisão mais séria de encontrar uma solução.

Por isso, da próxima vez em que você ver que está pensando dessa forma, procure pensar no que você pode fazer, como pessoa, para modificar a realidade ao seu redor.

Procure soluções em vez de ficar justificando os problemas existentes.

Veja abaixo algumas sugestões:

Consuma de forma mais consciente.

Recicle e reutilize mais.

Seja mais altruísta.

Sorria mais. Seja mais gentil.

Se você quer um mundo melhor, comece fazendo a sua parte.

Por menor, mais simples, mais trivial que seja, cada atitude nesse sentido tem importância.

 

Março

No 5º post do ano, o objetivo é fazer uma reflexão sobre o consumo, já que dia 15/03 é o Dia do Consumidor.

Muitas vezes a emoção fala mais alto e você acaba comprando algo desnecessário.

Exatamente como eu quase fiz com a nova televisão. Que eu não precisava, já que a minha ainda estava boa. E continua assim até hoje.

Todos nós precisamos aprender a usar os objetos comprados enquanto funcionarem bem.

Já pensou em quanta economia poderá fazer se utilizar o que já possui até que tais objetos realmente precisem ser substituídos por apresentarem falhas importantes?

Além disso, muitas vezes o consumo está mais relacionado à satisfação, a tentar encontrar no exterior, algo que só será encontrado no interior.

A vida é muito mais do que ir às compras. Por isso, o autoconhecimento é tão importante: através dele, você consegue definir o que é realmente importante para você.

O consumo faz parte da vida, mas não é capaz de promover alegria e satisfação duradouras.

Portanto, procure dar mais atenção e valor aos seus valores, afinidades e virtudes, pois eles sim, são capazes de dar sentido, proporcionar realização e trazer alegria e satisfação duradouras à sua vida.

Em outras palavras, ser é muito mais importante do que ter.

 

No 6º post, fiz uma resenha do livro Warren Buffett e análise de balanços – Mary Buffett e David Clark.

Por ser um post mais técnico, gostaria de selecionar apenas o trecho final:

Esse é um daqueles livros que em vários momentos pode te levar a pensar: “Como é que eu nunca pensei nisso antes?”

Quantas vezes você também já não pensou assim? Por isso, a vontade de aprender deve estar sempre presente em sua vida. Pois como disse Albert Einstein, “A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original.”

 

No 7º post, o tema é a procrastinação.

Jogamos para debaixo do tapete o que deveria ser feito hoje e ignoramos o fato de que as tarefas de hoje se somarão às de ontem e todas estarão pendentes amanhã.

Considerando que o amanhã também possui suas próprias demandas e imprevistos, consegue imaginar o tamanho do problema futuro?

As demandas atuais são muitas, porém deixar para depois o que precisa ser feito hoje só criará mais aborrecimentos para o amanhã – exatamente o que todos nós mais queremos evitar.

 

Abril

No 8º post, o título resume bem o tema escolhido: você não é os seus sentimentos

Você já deve ter dito ou ouvido frases como:

Sou triste.

Eu sou irritado.

Eu sou medroso.

Mas será que é, que esse é o seu estado natural?

Ou você se sentiu assim em determinados momentos, sendo que tais sentimentos não ocupam a maior parte do seu tempo?

Procure prestar mais atenção em seus sentimentos e emoções.

Quando identificar um que costuma ver como parte de sua personalidade, questione-se.

Por que estou me sentido assim?

Lembre-se sempre que:

Sentimentos e emoções passam.

Pode demorar um pouco para isso acontecer, mas eles não ficarão para sempre com você.

Por isso, não alimente a crença de que um sentimento é parte do seu “eu”.

Isso fará toda a diferença para que você fortaleça os sentimentos que lhe são agradáveis e trabalhe mais os que te entristecem.

O que você sente conduzirá seus pensamentos por um caminho semelhante. E muitas vezes, é exatamente esse caminho que você mais quer evitar.

 

No 9º post, o tema escolhido são os problemas que cada um de nós enfrenta na vida.

Poucas pessoas gostam de dias nublados.

São dias que nos deixam mais tristes. Ou ao menos, não tão alegres. Ao contrário de um dia de sol, que proporciona disposição, ânimo, alegria. Dias de sol fazem bem para o corpo e para a mente.

A questão é que precisamos dos dois.

Quem conseguiria alcançar um bom nível de desenvolvimento pessoal se não fosse capaz de lidar com as tristezas e adversidades da vida?

As nuvens carregadas são importantes, fazem parte da vida.

Aprender a lidar com elas da melhor maneira possível pode fazer toda a diferença.

Como você lidou com seus problemas até esse momento?

Hoje você é o resultado não apenas de suas ações de ontem, mas também de suas reações.

 

Maio

No 10º post do ano, o tema é a tão necessária Reserva de Emergência

Aprender desde cedo sobre a importância do consumo consciente é muito melhor do que tentar mudar hábitos de consumo excessivo na fase adulta.

E aprender isso na escola e com os pais é melhor ainda.

O fato é que a maioria de nós não aprendeu sobre o assunto, mas dá para correr atrás do prejuízo.

Ninguém gosta de problemas ou imprevistos, mas quando eles chegarem, nada melhor do que estar com a parte financeira preparada para lidar com cada um deles da melhor forma possível.

 

No 11º post do ano, o assunto é a importância de pensar antes de falar

Você já se arrependeu de algo que falou?

Se pudesse, gostaria de voltar no tempo aqueles 10 ou 20 segundos e pegar suas palavras de volta?

Quantas vezes em momentos de descontração, você acabou falando coisas muito íntimas e se arrepende disso até hoje?

Quantas vezes você foi cruelmente sincero com uma pessoa querida e acabou magoando-a sem necessidade?

Você se reconheceu em alguma das situações acima?

Aprendemos que ser bem comunicativo é um ponto positivo, mas muitas vezes, o que poderia ser bom acaba tendo o resultado inverso.

Aprendemos a interromper, a não ouvir totalmente o que a outra pessoa está dizendo. Mas agindo assim, não há como prestar total atenção nas palavras ditas. E como consequência, a comunicação não será tão clara como poderia ser.

Ouvir com atenção e pensar mais antes de falar pode evitar muitos problemas, aborrecimentos e decepções.

 

Junho

No 12º post do ano, o tema é a importância da Educação Financeira.

Apesar do tema dinheiro ser um tabu na cultura brasileira, é preciso sim falar de dinheiro.

Falar sobre as melhores maneiras de investir.

Fazer com que o seu dinheiro trabalhe para você.

Ao mesmo tempo, é necessário rever e questionar hábitos de consumo. Será que todos são realmente importantes? Ou necessários?

Não há fórmula mágica.

Uma vida financeira mais tranquila é alcançada subindo degrau por degrau através de reflexões sobre a real necessidade dos hábitos de consumo atuais. E ação para cortar o desnecessário.

O post termina com o seguinte pensamento:

É muito importante para a mudança nos hábitos de consumo e para que as prioridades se tornem claras no grande emaranhado de distrações e ilusões atuais.

Consumir com consciência, sabendo o real motivo e objetivo da compra são muito importantes para que não sejam feitas compras por impulso ou que tenham mais a intenção de impressionar os outros do que proporcionar o bem-estar pessoal.

 

retrospectiva palavra prática em inglês escrita com várias palavras edificantes dentro

 

No 13° post do ano o tema é a Lei da Atração

O filme The Secret fez um grande sucesso na década passada. Mas será que tudo o que é mostrado lá funciona mesmo?

Funciona, desde que o que é omitido no filme seja feito: você precisa agir.

“O Segredo”, da maneira como mostrado no filme serviu para enriquecer apenas os participantes do projeto. Principalmente a idealizadora.

Porém, se você acreditar em seus objetivos, pensar de maneira positiva e tomar as atitudes necessárias, também poderá obter grandes resultados.

 

Como o post ficou mais extenso, a parte 2 da retrospectiva será publicada na próxima semana.

Até lá!

 

Link:  Rápido teste do post Para onde seus pensamentos te conduzem?

 

Se quiser, veja também minha página no Instagram. Estou elaborando, com o tempo eu aprendo!

 

Créditos das imagens: Deirdre Weedon e John Hain – Pixabay

 

        

20 thoughts on “Retrospectiva 2021 – Parte 1”

  1. Boa noite de paz, querida amiga Rosana!
    Seus escritos tão bem elaborados só poderiam resultar num retrô maravilhoso com reflexões sábias.
    Nas horas vagas, vou ler com calma seu resumo de 2021.
    Feliz Natal abençoado!
    Menino Jesus, nossa Alegria.
    Que Deus lhe dê um Natal muito abençoado junto aos seus amados!
    Saúde, paz e amor sempre.
    Lembre-se dos amigos virtuais junto à sua mesa de Festa.
    Que não falte pão e Amor!
    Beijinhos carinhosos, festivos e fraternos

    Reply
  2. Olá Rosana
    Que postagem excelente, como aprendo com o teu blog, reflexões cheias de conhecimento e sabedoria, amei. Desejo um Natal repleto de bênçãos e um ano novo de vitórias e realizações, obrigada pela presença no meu blog, um forte abraço.

    Reply
    • Lucinalva,

      Bom saber que gostou das reflexões propostas nesse post. 🙂

      É gratificante e motivador saber que meus posts te trouxeram algum tipo de aprendizado.

      Desejo Boas Festas à você também!

      Reply
  3. Olá Rosana!

    Ficou excelente essa primeira parte da retrospectiva! Uma maneira diferente e original de encerrar o ano. Parabéns pela atitude!

    Todos os posts mencionados convidam a uma reflexão profunda, e eu particularmente gostei daquele sobre a necessidade de refletir antes de falar. Isso porque muitos dos males da sociedade atual poderiam ser resolvidos com atitude simples como essa, de simplesmente desacelerar, pausar e refletir antes de colocar as palavras em ação.

    Felizes festas para você e seus familiares, e um 2022 repleto de energias positivas e acontecimentos felizes!

    Abraços,

    Reply
    • Guilherme,

      Penso como você: mais reflexão antes de falar ou agir pode evitar muitos problemas.

      Desacelerar pensamentos, no final das contas, é essencial, ou talvez seja até a própria base para começar a desacelerar a vida.

      Bom saber que gostou do meu post!

      Desejo boas festas também à você e seus familiares. 🙂

      Reply
  4. Olá, hoje voltei para ler um pouco mais.
    Pois bem, no ponto 1, não foi o que sonhei desde o seu início.
    Foi catastrófico, mas Deus sempre nos levanta.
    Dias melhores virão.
    Rosana, meus familiares me definem como corajosa.
    Tenho vivido cada vez a vida mais simples.
    O luxo e a ostentação nunca me impressionaram, agora, cada vez menos.
    Gosto da vida que levo na simplicidade.
    Voltarei mais por aqui, querida.
    Boa tarde de antivéspera de Natal!
    ❤️💚🌲😘

    Reply
    • Rosélia,

      Pois é… nem sempre o que planejamos se torna realidade, mas precisamos persistir, reavaliar e mudar a rota quando necessário. 2021 para mim também foi mais ou menos assim. Espero que o próximo ano seja melhor para todos nós.

      A definição “corajosa” é digna de aplausos. Parabéns por ser assim!

      Sobre a simplicidade, acho que um dia a gente aprende que o SER é mais importante do que o TER e que não são as coisas que nos definem, mas sim nossa personalidade, nossa maneira de ser, de encarar os problemas, de sonhar, de realizar.

      Que 2022 nos surpreenda com bons acontecimentos, com boas leituras, com novas visões de mundo.

      Que em 2022 cada um de nós consiga se tornar a sua melhor versão. Ou ao menos, chegar o mais próximo disso.

      Abraços,

      Reply
  5. Uau, são tantos ensinamentos que precisei ler com calma e parando para absorver um pouco. Reflexões atemporais que independem da idade, momento da jornada financeira, pessoal ou profissional.
    Não há uma vírgula que eu não endosse e só me resta praticar à exaustão todo o conteúdo, especialmente a serenidade em momentos nublados.
    Um ótimo Natal e um 2022 repleto de felicidade, saúde e realizações!

    Reply
    • Aposente Cedo,

      Bom saber que meu post foi tão útil à você. 🙂

      Em relação à serenidade, penso que com tudo o que está acontecendo, ela se torna ainda muito mais importante. Não é fácil, mas extremamente necessário.

      Boas Festas e um Feliz 2022 à você também!

      Reply
  6. Oi Rosana, como tem passado?
    Passando para te desejar um Bom Natal e uma Boa entrada
    de ano e porque não ratificar nossos laços? sim kkk laços de amizade.
    Abraços
    janicce e até breve!

    Reply
  7. A parte de controlar meus pensamentos é quase impossível ou muito difícil. Controlar meus atos é viável.

    Sobre reciclagem , gosto da ideia, mas acho q o mundo civilizado vai colapsar ambientalmente (ou ja colapsou) de qq forma em razão da indústria:

    Enfim, é como tentar esvaziar uma piscina com um garfo: iniciativas individuais não podem evitar o desastre climático

    Nesse sentido vide as conclusões da cope26

    Abs!

    Reply
    • Scant,

      Reciclagem sozinha realmente não adianta. Poderia o mundo inteiro sem expert no assunto e mesmo assim não resolver a questão do desastre climático.

      Penso que a reciclagem precisa estar presente, mas dentro do contexto dos 5 Rs: repensar, recusar, reduzir, reutilizar e reciclar.

      Nosso estilo de vida está sobrecarregando o planeta. E para iniciar qualquer mudança, o 1º passo é repensar o nosso próprio consumo.

      Agradeço pela dica de leitura. 🙂

      Abraços,

      Reply

Leave a Comment